TERAPIA DO AUTOCONHECIMENTO AO ALCANCE DE TODOS

 

Muitos são os ganhos da terapia em grupo; dialogar com pessoas que tenham muitas dificuldades em comum com você; ter o mesmo problema que o outro, diminui a frustração do individuo, e ele passa a ver que ele não sofre sozinho. Contar uma experiência sua para o outro, ajuda você a superar-la mais rápido. Falar em um ambiente onde as pessoas passam pela mesma situação, te faz sentir mais confortável, mais seguro, sem medos, receios.

 

Descobrir as nossas qualidades, saber lidar com os nossos pontos negativos, acordar pela manhã e encarar o espelho de alma aberta para enxergar exatamente quem somos nós.
Que para cada ação há uma reação, todo mundo já sabe. Mas, existem diversas formas de agir e reagir, e tudo depende de você. Por exemplo, quando alguém te irrita, será que o problema está na pessoa ou em você? A sua resposta com certeza vai depender de como encara as suas imperfeições e as dos outros. Para muitos, é mais fácil acusar ou sentir-se vítima de uma situação do que assumir o erro, mas há formas de mudar esta postura, e mudá-la para melhor.
Na terapia em grupo, observar um colega evoluir, ver ele lidando melhor com as suas questões e perturbações, faz com que os outros tenham mais esperança e saibam que para eles também é possível. No grupo quando alguém obtém sucesso ele passa a servir de modelo de suporte. Todos também servem de modelo um para o outro, e assim passam a crescer todos juntos. Em um grupo terapêutico o paciente passa a se sentir muito menos sozinho e muito mais acompanhado, como em uma grande família.
A proposta desse grupo é nos ajudar a sermos mais verdadeiras, a estarmos cada vez mais conscientes de nossas defesas, negatividades e, principalmente, das qualidades, que muitas vezes não reconhecemos em nós mesmas. É uma forma de auxiliar as pessoas a serem quem realmente são, a mostrar nosso “eu melhor” e não quem fingimos ser, com a máscara que incorporamos no dia a dia. Isto, para nós, é desenvolver a espiritualidade. Para alcançar esses objetivos, é preciso ter muito empenho, coragem para ver a verdade, amor por si e auto responsabilidade.
O básico do trabalho é realizado em grupos. Desta forma, o crescimento é mais rápido, pois partilhamos nossos ganhos e dificuldades. E mais: encontramos semelhanças. A ideia do grupo não está ligado a nenhuma religião e seu conteúdo não desrespeita nenhuma crença religiosa. O que fazemos nos grupos são: meditações, estudos de temas para autoconhecimento , além de exercícios como visualizações, compartilhamento de experiências e sensações e técnica ativa.
Não podemos terceirizar a responsabilidade que devemos ter com a nossa felicidade. Ela não pode vir por meio de coisas externas, pois a verdadeira e perene felicidade só pode acontecer na jornada do autoconhecimento e do encontro de sentido e significado existencial. Nem o dinheiro pode ser instrumento para se atingir a felicidade, pois feliz é quem gosta de viver e tem fé na própria vida, independente dos percalços tristes que possam atingi-lo.
Quem nunca se fez uma dessas perguntas (ou outras parecidas): Por que sempre escolho o homem errado? Por que não consigo dizer não? Por que preciso sempre agradar os outros? Por que preciso sempre ter controle de tudo? Por que não consigo parar num emprego só? Por que tenho problemas com autoridades? Por que tenho tanta raiva e sou tão bravo? Por que, vira e mexe, eu me coloco como vítima das circunstâncias?

 

 

Paz e Luz!

 

Marisa Nascimento