As doenças psicossomáticas referem-se a dores físicas desencadeadas por distúrbios emocionais. Aquela dor de cabeça que nunca passa, a tristeza constante, ou o mal estar no estômago que parece não ter solução.

Ao reprimirmos nossas emoções, elas vão se acumulando até se manifestarem fisicamente em algum órgão mais sensível. O resultado pode aparecer em forma de enxaquecas, herpes, diarreia, tonturas e resfriados ou então por meio de gestos, como calor, tremor, contração dos dentes, entre outros.

Na tradição oriental, as emoções estão entre os fatores que podem desencadear doenças. Segundo os orientais, certas reações como raiva, preocupação, medo e tristeza afetam a energia do organismo. Este desequilíbrio se manifesta através de doenças como gastrite, dores de cabeça, nas costas, entre outras.

 

Segundo esta área do conhecimento, a mente e o corpo formam um sistema único e precisam estar em harmonia. Portanto tudo o que acontece a um, afeta o outro e vice versa.

As primeiras evidências que comprovaram a incidência de doenças psicossomáticas no organismo surgiram do acompanhamento de pacientes com úlceras. Os médicos notaram que mesmo após a cura das moléstias em salas cirúrgicas, o problema voltou a incomodar os pacientes algum tempo depois.

O acúmulo de informações negativas pode gerar quatro situações: choro, nervosismo ou agressividade, dependência de substâncias ou doenças:

1. Depressão: a pessoa está constantemente angustiada e triste. Tem que chorar bastante para se sentir aliviada, mas o choro não adianta, porque a gravação do evento desagradável na memória não se apaga por si só.

2. Agressividade: o indivíduo torna-se intolerante e agressivo. Pode, também, ficar tenso, nervoso, eternamente insatisfeito.

3. Doença: a pessoa pode somatizar, criando moléstias no corpo.

• No aparelho circulatório, o infarto e a pressão alta.
• No aparelho respiratório, a bronquite e a asma.
• No aparelho digestivo, a gastrite, a colite e a úlcera.
• No aparelho endócrino, pode ocorrer propensão para ganhar peso.
• No aparelho genital, a impotência ou a frigidez.
• No aparelho locomotor, a dor na coluna ou no corpo de modo geral.

4. Dependência: o indivíduo busca alívio no álcool, nas drogas e nos medicamentos. Essas substâncias bloqueiam o consciente, causando melhora temporária, visto que o indivíduo se esquece do problema.

 “Uma pessoa tensa está constantemente insatisfeita, vive tensa, dorme tensa, levanta cansada, até parece que não dormiu à noite. Se a pessoa está assim, precisa aprender a relaxar, bem como a solucionar os problemas negativos que estão gravados no inconsciente. Isso permite que a pessoa se sinta bem consigo, passando a viver, e não somente a existir”.

A proposta do tratamento de Alquimia Pessoal é ajudar o paciente a ter uma avaliação da sua vida com auto-conhecimento; equilibrar sua saúde física, mental e espiritual; traçar metas e realizá-las para cumprir a sua missão de vida!

As terapias associadas para esse tratamento são: Mapa Astral, Acupuntura, Floral, Reiki, Psicoterapia Reencarnacionista, Acesso Direto ao Inconsciente, Coaching e Dialogoterapia.

 

Paz e Luz!

 

Marisa Nascimento