As estrias são cicatrizes provenientes do rompimento e conseqüente lesão das fibras elásticas e colágeno da pele. Elas podem acometer qualquer tipo de pessoa: homens, mulheres, adultos, adolescentes, magros ou obesos. A causa das estrias é um crescimento muito rápido, fazendo com que as fibras de colágeno da pele não suportem e se rompam. É muito comum seu aparecimento na adolescência, quando ocorre o estirão e devido, também, ao aumento da produção dos hormônios estrógeno e progesterona. Nessa época é normal que as estrias apareçam, principalmente em determinas regiões como os seios, coxas, costas, bumbum e barriga. Outro momento em que é muito comum o aparecimento de estrias é durante a gravidez. 

Há dois tipos de estrias: as vermelhas, que são mais recentes; e as esbranquiçadas, que são estrias antigas.

 O eletrolifting é um equipamento de corrente galvânica associado a uma caneta  com intensidade micro amperada. Trata-se de um método invasivo, uma técnica de estimulação elétrica em conjunto com uma punturação ou varredura,  superficial (atinge somente a epiderme), em que a regeneração está baseada nos efeitos da corrente contínua, no processo de inflamação aguda e, conseqüentemente, no reparo do tecido.

Alguns segundos após a aplicação aparecem hiperemia e edema típico de qualquer processo inflamatório devido às substâncias locais liberadas pela lesão, provocando, assim, uma vasodilatação e aumento da permeabilidade dos vasos. O principal momento da inflamação é a vasodilatação, responsável pela hiperemia e calor, aumentando com isso o fluxo sanguíneo, que é fundamental nas alterações hemodinâmicas da inflamação aguda. 

Todo esse processo inflamatório é indispensável para a estimulação do fibroblasto, que é a célula responsável pela formação de colágeno e elastina , que tem um importante papel no processo regenerativo de atrofia tecidual. 

Em geral, as sessões de eletrolifting são executadas uma vez por semana ou a cada 10 dias. Após cada série de tratamento, que poderá ter o total de sessões variável de 12 a 20 sessões, em média. Para as estrias, o tratamento é a longo prazo, até haver melhora do aspecto da pele.

O tratamento com eletrolifting para estrias  é contraindicado em cardíacos, gestantes, diabéticos, neoplasísticos e portadores de hipertensão descontrolada. 

 

 

Paz e Luz!

 

 

Marisa Nascimento